Coisas da Interwebs

Cinema: A Teoria de Tudo

(por Raquel Aguiar e Diana Ramos)

“There is no boundary to human endeavor. Where there is life, there is hope.”

Esta frase de Stephen Hawking resume na perfeição o sentido do filme. Sendo esta uma obra que fala da sua vida e progressão da sua doença ao longo de 25 anos de relação entre o cientista famoso e Jane Hawking, esta é apresentada como sólido e comovente.

Baseado nas memórias de Jane Hawking, o guião adaptado é uma homenagem perfeita aos personagens, ainda vivos, e uma adaptação que, apesar de não ser romantizada e irrealista, é sobretudo, um celebrar da vida de Stephen Hawking.

A história enfrenta alguns desafios com sucesso, tais como fazer justiça às realizações científicas de Hawking, sem torná-las entediantes, o equilíbrio entre o drama e a comédia, a dificuldade de comunicação do físico teórico e também do grande fardo que Jane carregou. Felizmente, também não tornou a dissolução do casamento deles numa situação triste, levando sempre como algo aceitável.

Esta é uma história de vida real que apresenta um lado humano, sobretudo nos problemas e emoções que ambos enfrentaram, que foram bastante bem conseguidas com os close-ups extremos e alguns efeitos visuais. Na verdade, a visão é uma parte bastante importante em todo o filme, tendo em conta que é a única forma que Hawking tem para comunicar.

Eddie Redmayne demonstra a incapacidade de Stephen Hawking de forma graciosa e resiliente, ao passo que Felicity Jones ficou talvez com o papel mais desafiante, ao ter de interpretar – praticamente na perfeição – o que Jane estava a sentir e como lidou com a vida que levou.

thetheoryofeverything_still1

Os actores são relativamente novos neste mundo certamente aprenderam muito da carreira de James Marsh, deixado o espectador levar-se pelas personagens e quem eles realmente são.

A cinematografia brilhante de Benoit Delhoumme e a composição musical genial de Johann Johannsson tornam o filme consistentemente assistível e adorável. Um verdadeiro merecedor dos Óscares nas categorias que foi nomeado. A não perder!

Post a comment

%d bloggers like this: